Pensamento

|


" Nenhum homem sabe como é mau até tentar esforçar-se para ser bom.
Só poderás conhecer a força de um vento procurando caminhar contra ele, não te deixando levar."

(C. S. Lewis)

S/T

|

Hoje estou chateado, irritado, impaciente e não gosto de amanhecer assim. Chego ao final do dia moído, desgastado.
A verdade é que é difícil fazer o jogo do faz de conta e achar que as coisas estão melhorando.
Está tudo uma droga. Tudo continua uma droga.
Por mais otimista que se possa ser, tudo continua não fluindo.
Por mais que se tente quebrar esse ciclo vicioso e infrutífero, tudo continua na sua inércia, parecendo não corresponder à famosa lei física: ação x reação.
Por mais que se queira ver as coisas de maneira mais prática e mais realista, tudo continua me corroendo por dentro.
Sinto-me poroso. Assim sendo, sustentabilidade é questão de tempo.
Pessimismo de minha parte?
Não.
É uma realidade...e estou me cansando dela.

A ilha

|


Podem dizer que é brega, cafona, fora de moda, coisa que não existe, perda de tempo, fantasia, o que for! Se amar é tudo isso...então realmente estou parado no tempo.

No que dia em que eu perder essa capacidade, não vou querer estar aqui.

SAUDADES DE VOCÊ...


" Estrela brilhante reluz nesse instante sem fim
Um cheiro de amor espalhado no ar a me entorpecer
Quisera viesse do mar...e não de você

Um verde profundo no olhar a me endoidecer
Quisera estivesse no mar...e não em você

Porque seu coração é uma ilha...a centenas de milhas daqui
Porque seu coração é uma ilha...a centenas de milhas daqui "





À procura do vento

|



Hoje amanheci com uma irritação tremenda. Não quero nem pensar, nem escrever. Nada

Deixo apenas a música e este poema.

SAUDADE, AMOR...
***

"À procura, procura do vento.
Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra.
Porque a minha força determina a passagem do tempo.
Eu quero.
Eu sou capaz de lançar um grito pra dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo.
Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio.
Eu quero.
Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.
Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer.
Porque a minha força é imortal."

(José Luís Peixoto, escritor português)

Definitivo

|

" Definitivo, como tudo o que é simples, nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os shows e livros e silêncio que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos, por todos os beijos cancelados pela eternidade.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade."

(Drummond - adaptado)

A que melhor traduz...

|

Desculpem o impacto da foto...mas às vezes é preciso mostrar algo forte ou bizarro. Imagem diz muita coisa. E eu sempre escrevo pensando naquela que vou por aqui. Procuro alguma relação com aquilo que escrevo. E esta.... é perfeita pra mim hoje! Quero escrever sobre mim. Dormi mal, acordei meio azedo, como eu costumo dizer. Final de semana chegando. Enquanto pra grande maioria é um momento tão esperado, pra mim nem tanto. Eu detesto final de semana. E quais seriam os motivos? Ah...bastantes. Mas vou fazer justiça: o problema não é um sábado ou um domingo, pois são dias como outros quaisquer. O problema sou eu. O problema está em mim. Eu poderia estar em qualquer lugar agora, na tentativa de me "divertir", me "distrair", que seria indiferente.
Ok! Vou me esforçar! Vou ao cinema à noite então, sozinho...sozinho. Há sempre alguém perguntando se aquela fila é a fila do filme tal...e daí se interage, não é mesmo?

Não sei ao certo se estou triste, feliz, ansioso, decepcionado, angustiado, blá, blá, blá. Pode ser a mistura disso tudo. Mas nem vou entrar nesse campo aqui.

Aprender a lidar com meu ritmo de tempo e saber levar meus ganhos e perdas. Este é o ponto!
Sempre falo das minhas perdas aqui. Não aceito as razões, os motivos, seja o que for, que me fizeram engolir a seco essas perdas...e uma em especial.
SAUDADES DO MEU AMOR...

Aceito

|

"- Quero te pedir desculpas! Sei que fui muito injusto! E gostaria de fazer as pazes, aceita?" (...)
" - Sim, aceito." (...)

***

Ainda s/t

|

É um longo caminho a seguir: com seus abismos, suas curvas sinuosas, suas pedras, pontes que balançam, espinhos. O pior é que nem sempre sabemos para onde nos levarão esses caminhos. Enquanto se acreditava seguir rumo à "felicidade", na verdade era apenas uma miragem visível de longe, que se desfaz tão logo se deseja chegar perto. Quem não tem ou já teve uma miragem assim? Eu tenho a minha...
É...os caminhos. Nem sempre podemos escolher o melhor deles e quando percebemos, já seguimos rumo ao nada, sem muito saber que direção tomar.

S/T

|





Avant que la vie ne passe,
je veux garder l'envie.
Avant d'être dans le noir,
je veux garder l'espoir.
Avancer toute voile dehors...

Faz de conta...

|

Anos se passaram depois de mais uma tentativa de encontro frustrada.
Alguns de meus amigos mais próximos se mudaram daqui e me vi, novamente, forçado à lidar com minhas perdas. Mais perdas.
As noites ainda continuam sendo uma lembrança muito forte pra mim, pois era sempre o nosso melhor momento: nossas conversas, nossos risos, nosso tudo. Mas como escapar das noites?
Desde aquele dia de janeiro, nada consegue arrancar ainda o vazio do meu peito.
A saudade é a pior coisa do mundo.
Apenas minha insônia tem sido uma companheira fiel...
Às vezes saio pela madrugada e espero pelo nascer do dia. Com ele compartilho todas as minhas faltas, toda a ausência não permitida por mim...e fico sempre à espera de algo que nunca aconteceu.
Como é grande seu silêncio, amor, como se você não tivesse consciência da minha existência! O tempo apagou em você, mas não apagou em mim...por quê?
É...dizem que o tempo cura tudo...mas ainda não me curou por completo.
***

PS. Quem dera o tempo tivesse passado. Faz apenas 3 dias.
:(

O que dizer...

|

Bom, preciso colocar minha cabeça em ordem, meu coração, sufocar algumas coisas, me arrumar por dentro.
Estou sangrando, doendo.
Abraço a todos. Até breve.



Parte I

|

Quando criei este espaço, o objetivo era e é que ele fosse uma espécie de 'diário' virtual, no qual eu pudesse escrever e desabafar, sem medo de julgamentos ou mal entendidos. E tenho conseguido!
Vou dividir em partes hoje o que quero escrever..pra não ficar tão longo.
Então, quem passar por aqui, por favor, leia na seqüência, ou não vai entender muito.

Abraços a todos e beijos para meu amor. Sempre.

Parte II - Preocupação

|

"A preocupação não nos faz sentir mais confortáveis nem favorece melhores decisões. Ela fragmenta a mente, tira a concentração, distorce a perspectiva e destrói o bem-estar interior.
A preocupação é uma espécie de estresse auto-aplicado. A preocupação é o caos mental [...].
A preocupação está sempre relacionada ao futuro, mesmo que o futuro seja o momento seguinte [...].

A preocupação é a emoção 'consciente', aquela que é induzida pelos fatos [...].
A preocupação ajuda alguém? Não, mas como a ansiedade, é uma sensação um tanto desagradável e desgastante, ela simula uma falsa impressão de dever cumprido, de termos feito a nossa parte, quando, na verdade, apenas movimentamos as nossas engrenagens mentais, ou nossa boca."
(Prather: 2003)

Parte III - Diálogo entre dois amigos

|

" - Mas que preocupações são essas?"
"- Algumas...das mais diversas. Algumas bobagens, outras que não deveriam ser levadas tão à sério. Há coisas que nem são preocupações, e sim medos, os meus medos. Insegurança? Devaneios, fantasias da minha cabeça? Sei la...sei apenas que me inquietam. Não deveria, mas sou assim, não vou mudar a essa altura da vida! Melhorar sim, gostaria muito, quem sabe, mas mudar...não seria o Braz que eu gosto de ser"
" - Por isso sofre! Seu bobo, acorda! Do que adianta ficar assim e ser assim?"
" - Adianta...primeiramente porque sou fiel a mim mesmo. Depois porque não sou blindado sentimentalmente."
" - Lá vem você falando nessa história de blindagem...você é um romântico tolo"
" - Pode ser, mas como é bom assim...ninguém pode me roubar isso...e apesar dos pesares, como faz bem, mesmo que de longe, quieto, no silêncio. Está lá. Meu."
" - Ah...ok. não quer ir ao cinema, fique aí!"
" - Bom filme, me conta depois"
" - Seu chato!"
" - Linda!"
...

Parte IV - Quais inquietações?

|

" - E o filme?"
" - Uma chatice..."
" - Ótimo, economizei...vou viajar."
" - Lá vem..."
" - É minha amiga ou não é?"
" - Desculpa, vamos conversar então."
" - Bem, não importa o que eu pense neste instante. Meus pensamentos não vão fazer com que minhas preocupações se dissipem ou se resolvam.
" - Já sei do que se trata..vamos lá, estou ouvindo."
" - Será que a promessa de nunca sairmos da vida um do outro e sempre estarmos ali quando um precisar, vai morrer quando ele

encontrar alguém especial? ( já que não estamos juntos).

Será que o mundo não vai dar voltas suficiente para nossos caminhos se cruzarem de novo? Será que nosso futuro vai ser sem notícias, sem contato, sem vivência comum? Será que ele vai ser para mim (e eu vou ser para ele) mais uma pessoa que passou, deixou lá suas marcas (que o tempo praticamente apagou) e ficaram apenas algumas lembranças que a gente nem se lembra de lembrar? Será que é dessa vez que vou perdê-lo de vez?
Viu, minha mente está cheia de temores! Todos relacionados ao futuro."
" - Você precisa pensar nos seus problemas...isso não é problema."
" - Eu penso, e estou reagindo a eles, resolvendo, só penso nisso às vezes, como agora."
" - Não sei o que dizer, nem fazer pra ajudar."
" - Melhor, não diga nada, nem faça nada."
...

Parte V - Aquietar-me

|

Meu amigo Paulo me diria para aquietar-me!
Verdade...final de semana está ai. É uma chance.
O que há de ser...será.


Tempo

|

" Há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu:
Tempo de nascer
e tempo de morrer,

Tempo de plantar e tempo para colher o que se plantou,
Tempo de matar
e tempo de curar,

Tempo de derrubar
e tempo de construir,

Tempo de chorar
e tempo de rir,

Tempo de prantear
e tempo de dançar,

Tempo de espalhar pedras
e tempo de juntá-las,

Tempo de abraçar
e tempo de se conter,

Tempo de procurar
e tempo de desistir,

Tempo de guardar
e tempo de jogar fora,

Tempo de rasgar
e tempo de costurar,

Tempo de calar
e tempo de falar,

Tempo de amar
e tempo de odiar,

Tempo de guerrear
e tempo de viver em paz "

(Eclesiastes 3 )

Não sou nenhum exemplo de religiosidade, nem tenho a pretensão de ser. Mas acho essa passagem bíblica uma das coisas mais verdadeiras que já li.
Só o tempo é capaz de tudo.
Preciso ajustar o ritmo do meu tempo...pra que eu não morra de cansaço.
Abraços a todos.
Beijos para meu amor...(que está bastante resfriado, fiquei sabendo, e eu aqui longe sem poder cuidar dele!).Cuide-se então.

Cenas da cidade: chuva com vento e gelo ontem!

|

Foi complicado voltar pra casa à noite depois dessa tempestade...
video
...que caiu na cidade de repente e durou horas.
video

Entristeci...

|

Hoje não vou colocar mais nada por aqui.
Deixo apenas a imagem e a música.
Abraço a todos...(Beijo...)


S/T

|


"Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe
e de leve,

para que
venhas comigo

e eu para sempre te leve..."
(Cecília Meireles)

Sangrando

|

Esta canção...vai em forma de declaração para você...

" Quando eu soltar a minha voz, por favor entenda
Que palavra por palavra, eis aqui uma pessoa se entregando
Coração na boca, peito aberto...vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida que eu estou cantando
Quando eu abrir minha garganta, essa força tanta
Tudo que você ouvir...esteja certa (o) que estarei vivendo

Veja o brilho dos meus olhos e o tremor nas minhas mãos
E o meu corpo tão suado transbordando toda a raça e emoção
E se eu chorar e o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante...que o teu canto é a minha força pra cantar
Quando eu soltar a minha voz, por favor, entenda...
É apenas o meu jeito de viver o que é amar "


Ainda bem que existe música!

|

Queria ter uma espécie de blindagem sentimental: ser indiferente tanto aos sentimentos bons quanto aos ruins.
Queria não sentir nada por ninguém, de maneira geral. Nem amor, nem ressentimento, nem pena, nem indiferença, nem amizade. Nada.

Mas essa blindagem não existe. Se existe...é para pouca gente.
Sinto, amo, me emociono, me preocupo, me apego...fico alegre, triste, choro, rio também.
Acho que isso é viver...apesar de tudo. E vale...
Mas invejo um pouco aqueles que se dizem fortes, racionais, inatingíveis, pessoas duras, quase auto-suficientes. Será?
Meu desejo é tão simples, meu pedido tão simples...e isso nada tem a ver com "mundo cor-de rosa". Nada disso.
Me bateu uma tristeza agora à noite. Acho que é saudade de alguém. Vontade de estar com esse alguém. Mas vai passar. Vou me deitar e amanhã estarei melhor. Dia novo, semana nova. Tenho metas a alcançar!
Mas isso não apaga a saudade que sinto, não alivia sua ausência...Mesmo estando bem, lá no fundo, sempre sinto falta...É chato isso. Estaria bem melhor se estivesse perto dele.
Espero que agora nossos caminhos nos conduzam um ao outro e então, pra sempre ficarmos.
Beijo
"Já vou embora/Mas sei que vou voltar
Amor não chora/Se eu volto é pra ficar
Eu quis ficar aqui/Mas não podia
O meu caminho a ti/Não conduzia
O amor agora/Pra sempre ele ficar"






Satisfação

|

O que vou tentar resumir aqui foi uma coisa muito boa que me aconteceu no final da tarde de ontem. Estava esperando a chuva passar para voltar pra casa. Precisava me distrair um pouco e decidi ir ao shopping. Como chovia forte, subi até a praça de alimentação e resolvi tomar um café, ler o jornal até que a chuva ficasse mais fraca.
Brasília recebe muitas pessoas de fora nessa época do ano. Pessoas que chegam enganadas pela ilusão de que aqui é um paraíso e que terão muitas chances. Pode ser, mas para esse tipo de pessoas, a cidade se torna uma verdadeira selva,
onde precisam sobreviver de alguma maneira. Pedir é uma delas.
Lá estava eu..quieto, lendo o jornal, mais precisamente sobre a febre amarela no DF, quando um garoto se aproximou de mim e disse:
"- Tio, paga uma comida pra mim?"
Imediatamente eu olhei para os lados, pois com certeza um daqueles seguranças de shopping estaria vindo pra enxotar o garoto. Mas pra minha surpresa a área estava livre!
"- Uma comida? " perguntei.
"É...não comi hoje ainda..." ele disse.
Adivinha quem chegou em seguida? Isso mesmo...o guardinha. Geralmente eles são mal educados, chatos.
"-Sai daqui, menino, você não pode ficar aqui nem pedir nada, sai."
"-Eu vou pagar alguma coisa pra ele comer porque ele está com fome."
"-O senhor não pode fazer isso."
"-Posso sim, estou pagando, além do mais, a criança não incomodou ninguém, nem a mim."
" -O shopping não se responsabiliza por danos ou problemas que ocorrerem com...."
"-Olha, eu sou bem grandinho e sei me defender e não sou nenhum marginal pra fazer mal ao garoto, blá, blá, blá..."
O "bate-papo" com o "segurança" foi longo. Não subo o tom de voz quando quero argumentar. Uso as palavras certas, na hora certa. Geralmente funciona!
Paz...
Enfim, consegui pagar o lanche para o garoto. Descobri que ele faz parte de uma daquelas famílias que chegam aqui em busca de alguma coisa, mas como não conseguem, ficam reféns do acaso, até conseguirem voltar pra onde nunca deveriam ter saído.
Uma graça o garoto. Ficamos ali no café conversando por mais de uma hora. Falante ele e eu bom ouvinte, então...
Fiquei observando as marcas que já faziam parte da vidinha dele: as mãos maltratadas, pele meio queimada de sol, unhas, as roupinhas surradas - bem diferente deste da imagem - o apetite voraz que tinha, fazendo do pão com queijo e um copo de suco um verdadeiro banquete. 8 anos. Poderia ser meu filho, cronologicamente falando, risos. E o nome...ah o nome. Quando perguntei e ele me disse, eu caí na gargalhada! Não vou dizer porque vocês podem falar: "Ah...você está inventando isso..." Mas não estou, juro. Adivinha como ele se chama? Isso mesmo.
Ele olhou pra mim e disse: "-Você não gosta do nome?" Esperto o garoto.
"- Gosto...ah se gosto desse nome, você não faz idéia, ......."
Bom, eu poderia escrever mais sobre isso, mais detalhes, mas ficaria longo demais.
Terminamos o lanche, eu o deixei na porta do shopping, apertei a mão dele e disse:
" ........, não posso fazer muita coisa por você, mas fiz aquilo que me pediu. Você é um garoto esperto, use isso para o lado bom e você vai conseguir mudar essa sua situação, no tempo certo, se cuide também, ok?"
Não sei se ele entendeu, nem se vai se lembrar disso depois futuramente. Gostaria que sim. Quem sabe. A imagem dos olhos dele me olhando vai ficar guardada.
Fiz tudo aquilo porque senti vontade de fazer, não me custou quase nada, mas me trouxe muita satisfação.
Sou cuidadoso, gosto do bem estar das pessoas que estão perto de mim - eu sempre peço para que as pessoas se cuidem...e muitas vezes não cuido de mim, engraçado, não?
Para este ano, quero muito poder cuidar mais de mim, da minha vida, meus projetos e alcançar tudo que puder.
Que Deus abençoe aquele garoto!
Abraço a todos...e beijos, amor meu.

Timidamente, mas é um bom sinal.

|

Uma das melhores coisa que fiz no último dia do ano que se passou, dentro do carro, por volta das 22 horas, à caminho da Esplanada dos Ministérios, foi ter pego o telefone, parado o carro e ligado para o Marcos, "meu Marcos".
Sentia receio, pois afinal de contas, eu não escutava a voz dele havia quase um ano.
Ele poderia não ter atendido ou poderia ter sido distante comigo. Eu saberia reconhecer sua reação em seu tom de voz. Mas pra minha alegria, nossa alegria, foi bom poder terminar o ano com aquela atitude, a sensação de que tudo que vivemos, as alegrias que tivemos, que foram muitas, e até mesmo os momentos difíceis pelos quais passamos, mas que não foram capazes de apagar os bons, nada tinha sido em vão. E como é maravilhoso poder ter alguém, seja perto, longe, mas alguém que de certa maneira viveu tudo aquilo também como você.
De lá pra cá, passamos a ter algum contato por email novamente. Os meus são mais longos que os dele, mas eu tenho uma tendência a me perder com as palavras mesmo e sempre acabo escrevendo textos enormes que ele diz adorar...Acredito!
São contatos tímidos, mas que sinalizam um bom sinal. Acredito que ambos estão num momento diferente em suas vidas. Cada um deve ter passado por fases boas, nem tão boas - pelo menos as minhas foram bem cinzentas - mas acabamos por tirar algum proveito disso tudo.
Levamos nossos barcos à frente...bem ou mal...precisamos seguir. Mas eu sempre mantive a lembrança dele comigo e sua presença no meu coração.
Às vezes o vento sopra de um lado...distanciando o que não deveria. Mas o mesmo vento, ou melhor, que seja um vento amigo, também contribui para aproximar...reaproximar.
É o que desejo que aconteça conosco: Marcos e eu. Uma oportunidade de fazermos as coisas de maneira diferente agora, de forma madura, planejadas dentro daquilo que podemos ter controle.
Sempre achei muito injusta a forma como fomos "obrigados" a ficar e ter que "aceitar". Eu nunca aceitei, nunca.
Estamos planejando um reencontro, um reencontro que vai acontecer depois de um ano e cinco meses após nosso último abraço, último toque, último beijo. Vocês podem imaginar como foi difícil e doloroso todo esse tempo?
Quão maravilhoso será esse reencontro, tenho certeza disso.

"Siga seu destino amigo, ele te pertence, não o perca nunca...mas tudo com os pés no chão e sem perder o sentido da própria vida". (São palavras do meu amigo Braccini).
Vou terminar com uma música que gosto muito...e se não me engano, ele também gosta...então a dedico a todos que passarem por aqui, ao meu amor e a mim também.
Abraço a todos e beijos para meu amor.

Lembra de mim...
Dos beijos que escrevi nos muros a giz
Os mais bonitos continuam por lá
Documentando que alguém foi feliz...
"
"Lembra de mim...
A gente sempre se casava ao luar
Depois jogava os nossos corpos no mar
Tão naufragados e exaustos de amar...
Lembra de mim...


Vento no Litoral (Consegui por a música!)

|

Renato Russo estava inspirado ao compor a música Vento no Litoral. Com certeza estava sob efeito daquele sentimento que vale ouro quando se pode realmente viver e principalmente ter: o amor.
Mas arrisco um palpite: ele estava longe do seu amor, assim como estou do meu. Então por isso veio toda sua inspiração e conseguiu, sensivelmente, converter em palavras tudo o que sentia com tal ausência.
A interpretação da música por Leila Pinheiro ficou, pelo menos pra mim, ainda mais bonita e de uma sensibilidade enorme.

...Sei que faço isso pra esquecer...eu deixo a onda me acertar
Dos nossos planos é que tenho mais saudade...quando olhávamos juntos na mesma direção
Aonde está você agora? Além de aqui, dentro de mim...
Vai ser difícil sem você porque você está comigo o tempo todo...
Já que você não está aqui, o que posso fazer é cuidar de mim
E o vento vai levando tudo embora...
Ouça a música...


Viver mais o presente, sem viver tanto o passado. É uma combinação difícil pra mim. Não consigo fazer meu presente mais sereno ignorando o passado...pois nele há esperança de um presente mais feliz!
Serei um eterno bobalhão mesmo...
Abraço a todos e beijos para meu amor...que contrariando a música, nem o vento leva embora.


Cenas da capital...

|

Bem, aqui tinha uma postagem especial que fiz...que já foi vista também. Então resolvi guardá-la.
Pra não ficar a data vazia, vou colocar esses pequenos vídeos que eu já tinha da cidade.
Abraços.
Estou cansado hoje. Bateu um pouco de desânimo, sei lá. Acho que foi a correria do dia apenas. Vou estar mais disposto amanhã...espero.
Abraços.
P. S. Beijo pra você.

Museu da República
video

SHS e SCS vistos do shopping. Acho legal a visão daqui.
video

Árvore de Natal na Torre de TV
video

Mrs Dalloway

|




" Rosas...pensou sarcasticamente.
Bobagens, minha cara.
Pois em verdade, quando se tem de comer, beber e deitar,
tanto nos bons,
como nos maus dias,

a vida não tem nada a ver
com rosas."

( Virginia Woolf )

Desatino

|

Ontem saí, bebi...na tentativa de me desconectar das coisas por algumas horas. Achei que precisava.
Vã tentativa. A cada gole que eu dava, sabia exatamente o motivo daquilo, o motivo de estar ali.
Sentia sede...e ainda sinto...só que essa sede se mata na pele, na boca, no corpo de quem se ama e não em taças de vinho. (Ainda sou burro!)
Hoje não vou escrever mais nada. Vou ficar quieto no meu canto.
Recebi fotos novas. Amei. Algumas já estão ai ao lado. Imaginem a saudade que bateu...e o nó.
Abraços pra vocês.
Beijos, M...

Desejos, sabores e formas

|

Perdoem-me pelo que vou escrever aqui, mas é a mais pura verdade...e eu ando sedento para matar a minha:

A sede de amor só se mata na saliva de quem se ama...


...abraço também!

(Re)Apaixonado

|

Colocaram a paixão como sendo uma verdadeira vilã: efêmera, fraca, castigante e tantas outras coisas, quando na realidade não é bem assim.
A paixão é o combustível que nos leva até aquilo que chamamos de amor, se é que você acredita que ele exista. Eu acredito. A nossa vida seria muito mais difícil e vazia se não pudéssemos sentir amor, seja ele de que maneira for, pra quem for, como for.
É a paixão que nos faz sentir aquele frio na barriga quando pensamos na pessoa que amamos.
É a paixão que nos faz querer estar perto da pessoa que amamos.
Experimenta fazer seu trabalho do dia-à-dia sem ter paixão por ele...Você não vai amá-lo.
É preciso estar apaixonado para amar.
Amamos porque estamos sempre apaixonados...Paixão não morre! Mentiram pra nós!
É a paixão que nos faz lutar pela pessoa que queremos...e eu, podem ter certeza, vou lutar pela que amo, pois continuo apaixonado.
Se vou ter êxito, não tenho como saber. Quero muito...e não vou desistir assim.
Que saudade...

Gestação

|

Dentro de nove meses exatos, estarei completando mais um aniversário: será um domingo.
" - Nossa, mas está tão longe e você já está falando nisso?" Alguém poderia dizer...
" - Sim! Pra que se receba alguma coisa ou alguém da maneira que se deseja, é preciso gestão!" Responderia eu...
Não quero receber meu aniversário como da última vez: estava triste, querendo que aquele dia passasse logo...e ele lá..mais lento que nunca, me torturando, me fazendo pensar em tantas coisas que não queria pensar.
Aquilo que eu realmente queria naquele dia...acabou não acontecendo. Foi recompensando pelo carinho da minha mãe e de alguns poucos amigos. Mas passou...e é por isso que estou aqui agora fazendo planos, pensamentos positivos, escrevendo e dizendo que desta vez vai ser diferente, pelo menos vou tentar fazer diferente, ou melhor, desejar que seja diferente! Minha parte será feita.
Quero poder me lembrar de tudo o que eu tiver realizado até aquele momento e poder dizer, também, que o que não pude fazer, não teria sido a melhor coisa pra mim.
Quero que todas as pessoas que eu amo estejam bem para podermos "festejar".
Quero que meu amor esteja comigo, de verdade, como um presente tão esperado...e bastante valioso pra mim.
Uma gestação inteira para ser curtida, planejada e no final compartilhada com vocês, amigos e com você, amor meu.

Fogo que não arde!

|

"Há amor que não nos leva pra cama e nem é preciso.
Porque chega de mansinho, pelo respeito, no chamego,
na carícia, na gentileza e fica.
Fogo que não arde, mas aquece e sabemos que...
...enquanto estiver por perto, não passaremos frio".

(adaptado)
***

Eu ia escrever outras coisas aqui, mas desisti. Depois de falar da minha adolescência indo ler e escrever debaixo de uma árvore, cuja única preocupação era não deixar as formigas subirem pelas pernas, não dava! Achei que mergulharia muito fundo com o texto. Haveria um choque imenso! Mas está guardado. Colocarei depois.
Então escolhi uma passagem interessante que li, não me lembro onde, mas guardei. Só dei um toque do meu jeito...e você acabou de ler. (Me desculpe o autor). Assim fico no meio do caminho...
Abraços pra vocês.
Beijos para o moço da foto ao lado aí...


Conheço a cena...

|

Geralmente escrevo e só depois vou em busca de alguma imagem que possa ter algum tipo de relação com aquilo que escrevi. Só que desta vez, não sei o motivo, fiz o caminho inverso e acabei esbarrando com essa imagem, uma cena que me fez lembrar um pouco do início da minha adolescência e até mesmo algum tempo já adulto.
Já fiz muito isso: pegava alguma coisa pra ler ou então uma simples folha e um lápis e me sentava tal qual o rapaz da imagem. E ali esquecia o tempo - e também era esquecido - esquecia, por alguns instantes, os "problemas" que eu julgava ter naquela época. Quanta inocência!
Desde muito cedo, as palavras e eu sempre nos demos muito bem. Elas me entendem e eu, como forma de agradecimento, respeito seus limites, suas regras. Respeito, principalmente, a força que elas têm diante de quem lê: alegram, traduzem sentimentos bons, nem tão bons, destroem e ainda servem de prova, informam...e estão todas ali, guardadas na nossa mente, prontas para serem usadas, criarem vida.
Lembro-me que ao final de uma daquelas minhas sessões de "escritor", minha folha mas se assemelhava a um rascunho...de tanto que eu apagava, mudava, rabiscava, escrevia tudo espremido pra poder caber numa única folha! Só muito tempo depois percebi que eu escrevia sem parar e quando pensava em terminar, mais frases iam surgindo. Passei então a levar mais algumas folhas como reserva. O engraçado era que escrevia só pra mim mesmo.
Hoje continuo mudando e apagando várias vezes aquilo que vou escrevendo. Aqui mesmo já fiz isso muitas vezes, só que com a praticidade desse nosso tempo. É bom? Sim, mas não pensem que não tenho aqui ao lado um caderno e lápis! E hoje já não guardo apenas para mim. Se gosto, quero compartilhar. Se não gosto, também, faz parte, não é todo dia que se está inspirado, mas tenha certeza, há sempre alguma coisa a ser descoberta nas entrelinhas!
Pronto, chega desse papo. Era pra ser apenas uma descrição da imagem e olha no que deu.
Acho que na próxima postagem, vou voltar a ser aquele que vocês já conhecem e escrever de verdade!
Abraço a todos...e para meu moor, beijos, claro.

Aqui

|

" Eu nunca disse que iria ser a pessoa certa pra você, mas sou eu quem te adora.
Se fico um tempo sem te procurar, é pra saudade nos aproximar.
Eu não consigo esconder: certo ou errado, eu quero ter você.
Não dá pra disfarçar.
Eu tento aparentar frieza mas não dá...
É como uma represa pronta pra jorrar, querendo iluminar a estrada,
a casa, o quarto onde você está.
Não dá pra ocultar...algo preso quer sair do meu olhar...
atravessar montanhas e te alcançar.
Tocar o seu olhar, te fazer me enxergar e se enxergar em mim."

Zé Bronquinha

|

Clique na imagem para ler

Zerar tudo

|

Aparentemente, zeramos tudo com o começar de um ano. Acho que a idéia é essa mesmo: recomeço...mas retomadas também têm seu espaço nessa época nova.
Ontem à noite, fui próximo à Esplanada dos Ministérios ver a queima de fogos. Onde não existe mar, vamos de Ministérios mesmo. Estava lotado de pessoas, por isso fiquei meio ao longe, observando o "desespero" da multidão e lá estava eu tentando mergulhar nos meus pensamentos, fazendo meus balanços, conferindo o saldo de tudo que se passou comigo.
Depois de quase um ano, isso mesmo, quase um ano sem escutar a voz do meu amor, liguei pra ele. Sim, não ria! Não é pelo fato de ele estar longe que não tenho direito a um amor e de amá-lo! Uma coisa não impede a outra! Somos, sim, vítimas de uma situação. Aquelas arapucas da vida. Não me perguntem os motivos, as razões, etc. Simplesmente não tenho as respostas, nem muito menos saberia explicar porque gosto tanto dele, mesmo de longe e quando tudo contribuiu para nos manter separados: os desencontros, os problemas que cada um de nós passou e tantas outras coisas. Mas digo por mim: apesar de tudo isso, nunca consegui esquecer, nunca consegui me interessar por outra pessoa, acho que porque no fundo nunca quis outra pessoa que não fosse o meu
peposo. Essas coisas não se explicam. O que importa para mim é que ele existe. Apenas está longe ainda. Ainda.
Ficaria muito feliz se ele sentisse as mesmas coisas também, a seu modo, claro..., porque sinceramente falando, já que o que importa é o momento presente, hoje ainda não vejo meios de deixar de gostar nem de amá-lo.
Então continuando, liguei pra ele. Estava com medo, confesso. Medo não, ansioso. Enquanto o telefone tocava, eu desacelerava o carro...e meu coração acelerava a cada toque. Eu tinha medo de que ele não respondesse; era uma possibilidade. Também tinha medo de que atendesse e me tratasse friamente; outra possibilidade. Eu o conheço e saberia reconhecer sua reação com um simples "alô".
Fiquei tão feliz por ele ter me chamado de "moor". Posso parecer uma criança boba, mas aquilo me fez um bem tão grande, um simples carinho dito! Foi ótimo poder falar com ele, escutar sua voz, que aliás, eu sabia exatamente como era ainda.
A saudade veio com tudo nos momentos seguintes. Tristeza também, por imaginar e sentir que naquela hora, nós dois poderíamos estar juntos. Mas não quero, nem vou me entristecer com isso, pelo contrário, pois ele está com saúde e vivo.
Como disse no início, recomeço também tem espaço para retomadas, novos projetos, novas esperanças.
Meus abraços, beijos, desejos, paixão, carinhos sufocados durante todo esse pesadelo ficarão guardados até que ele possa recebê-los...Que seja breve, meu Deus!
Terminando, fiz um pequeno vídeo da queima de fogos...enquanto minha cabeça estava em um certo balneário no sul. (risos)
A qualidade não é boa, mas apenas para dar uma idéia de como foi. Quem sabe meu próximo será à beira mar e em muito boa companhia. Quem sabe.
Bom início de ano a todos!

video

 

©2009 Que não seja imortal, posto que é chama... | Template Blue by TNB